‘Stop Bolsonaro’ Manifestação pede impeachment do presidente

Manifestantes fincaram mil cruzes em frente ao Congresso, simbolizando as vítimas fatais da Covid-19 e criticando ações do presidente frente à pandemia

Manifestantes fincaram mil cruzes em frente ao Congresso, simbolizando as vítimas fatais da Covid-19 e criticando ações do presidente frente à pandemia

Na manhã deste domingo (28) o gramado em frente ao Congresso Nacional em Brasília, foi palco de um ato ecumênico que prestou homenagem às mortes causadas pelo novo coronavírus no país, mas também criticar as medidas e o descaso do presidente Bolsonaro e de seu governo no combate ao vírus.

As mil cruzes fincadas na frente do Congresso simbolizaram as mais de 57 mil vítimas (57.149) fatais da Covid-19 no Brasil, segundo dados do consórcio de veículos da imprensa colhidos junto às Secretarias Estaduais de Saúde.

“É uma cerimônia artística para denunciar as mortes que poderiam ter sido evitadas, para se solidarizar com as famílias e para denunciar os responsáveis por esse genocídio. Que nós entendemos que sejam Bolsonaro, Mourão e o Centrão” disse Lúcia Iwanow, uma das organizadoras da manifestação.

O ato foi organizado pelo grupo Coletivo Resistência e Ação, que se intitula suprapartidário de esquerda. Mesmo assim, Gilberto Carvalho, liderança nacional do PT, e Érica Kokay, deputada federal pelo mesmo partido, compareceram à manifestação.

“É fundamental a gente prestar as nossas homenagem às pessoas que estão sendo vítimas de tanta negligência do próprio Estado e que têm sido vítimas dessa crise sanitária. Então, em primeiro lugar, é uma homenagem: todo mundo que parte é o amor de alguém” disse Erika em entrevista ao Portal Metrópoles.

Diante das mil cruzes, também foi realizada a Cerimônia do Encantamento, Ato Ecumênico que contou com a presença de representantes das religiões Católica, Anglicana, Evangélicas, Espíritas, de Matriz Africana e indígenas. Durante a cerimônia foram entoadas músicas e lido um poema de Pedro Tierra, especialmente escrito para a ocasião. Além de líderes religiosos, a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, também discursou no ato.

Gilberto de Carvalho afirmou que além da homenagem às vítimas a cerimônia também foi um grito de repúdio contra a irresponsabilidade de Bolsonaro no combate à pandemia no Brasil.

“Esse ato foi uma homenagem às vítimas da Covid-19 no Brasil e de solidariedade às famílias que perderam seu entes queridos, lembrando que a maioria deles sequer pode velar seus familiares mortos. Porém, esse ato também foi um alerta para o Brasil e o mundo, um grito de repúdio para que Bolsonaro pare com essa política irresponsável de negar a gravidade da pandemia. Para que isso ocorra, sabemos que é preciso afastá-lo da Presidência da República. Logo, esse ato também é pelo Fora, Bolsonaro”, disse o ex-ministro dos governos Lula e Dilma.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar